Descobrir Arouca

Porque é tão saborosa a carne de Raça Arouquesa?

Raça Arouquesa

Arouca, terra fértil em pasto, é também conhecida pelos pratos de grande qualidade e sabor muito apreciado da Carne Arouquesa da Raça Arouquesa, nomeadamente a vitela assada no forno, os bifes de Alvarenga, a posta arouquesa, os medalhões e a espetada de vitela arouquesa, o costelão de arouquês, a vitela arouquesa na púcara e as costeletas de vitela arouquesa grelhada. A matéria–prima provém de uma alimentação à base de produtos naturais e tratamento dos animais que seja padrões e requisitos de qualidade bem estabelecidos.

Origem da Raça Arouquesa

A história do aparecimento desta raça é ainda hoje desconhecido ainda que se pense que remonte aos tempos Celtas, pelo cruzamento de várias raças de bovinos, nomeadamente as raça barrosã, mirandesa e minhota ou galega, cujas áreas de povoamento se alongavam pelo território nacional.

Características da Raça Arouquesa

São geralmente animais de porte pequeno (fêmeas pesam em média 350-450 kg e os machos adultos 750-900kg), com forte musculatura. Têm um temperamento dócil mas frequentemente impetuoso quando incomodados e estão perfeitamente adaptados às encostas serranas, inundadas de traços rochosos, ao clima agreste em particular no inverno e conseguem atingir, na maioria dos casos, os 16 a 18 anos de vida útil, no caso das fêmeas. Dadas as suas características físicas são animais fantásticos de trabalho, sendo ainda hoje muito usados também para produção de carne e leite.

Carne Arouquesa com Denominação de Origem Protegida (DOP)

É considerada carne Arouquesa DOP as carcaças de vitela, novilho, vaca e boi da raça Arouquesa, criados de forma tradicional, na região de Arouca. Apenas os animais de linha pura da Raça Arouquesa, inscritos no livro genealógico, poderão fornecer material para DOP. Assim, não são admitidos cruzamentos que possam por em causa a linhagem, a continuidade e apuramento da raça. Por outro lado, é garantido que os animais só poderão ser inscritos no registo de adultos após terem atingido a maioridade, 18 meses no caso das fêmeas e 12 meses nos machos.

A origem da Carne Arouquense é de:

  • Vitela – carcaças de animais abatidos entre os cinco e os nove meses de idade, com um peso compreendido entre 70 Kg e 135 Kg;
  • Novilho – carcaças de machos e fêmeas sem parto, abatidos entre os nove e os vinte e quatro meses de idade, com um peso compreendido entre os 136 Kg e os 230 Kg;
  • Vaca – carcaças de fêmeas com ou sem parto, abatidas entre os dois e quatro anos, com um peso mínimo de 150 Kg;
  • Boi – carcaças de machos castrados, abatidos entre os dois e os cinco anos, com um peso mínimo de 150 Kg.

A utilização da “Denominação de Origem Protegida” obriga a que a carne seja produzida de acordo com determinadas requisitos no caderno de especificações, que inclui:

  • A identificação dos animais e assegurado o nascimento e criação dentro dos limites da área geográfica;
  • Crescimento e alimentação em pasto natural e em equilíbrio e respeito com a natureza
  • O saneamento e a assistência veterinária;
  • A alimentação e o cuidado dos animais desde o nascimento, crescimento e transporte em conforto evitando fontes de stress
  • A indicação das substâncias de uso interdito;
  • As condições a observar no abate e conservação das carcaças
  • O controlo sanitário/rotulagem desde os progenitores até ao consumidor final.

Só podem beneficiar do uso da Denominação de Origem, os produtores que sejam expressamente autorizados pelo Agrupamento de Produtores ANCRA – Associação Nacional dos Criadores da Raça Arouquesa.

Características especiais da carne arouquesa

A carne apresenta determinadas características, todas elas definidas no Caderno de Especificações da DOP, tais como:

  • Cor:
    • rósea-clara a rosa pálida (vitela);
    • rosa a vermelho-claro (novilho);
    • avermelhado a vermelho- escuro (vaca e boi);
  • Gordura:
    • branca (vitela);
    • branca a cremosa (novilho);
    • amarelada (vaca e boi);
  • Cheiro e Sabor:
    • em todas as classes, o cheiro e o sabor são sui generis;
  • Consistência da Carne:
    • firme e ligeiramente húmida.

Território de produção da carne arouquesa

A área de produção desta carne abrange uma área de cerca de 1250 km da Região Centro, em que estão incluídos os Concelhos de:

  • Na Região Centro: Castelo de Paiva, Arouca, Castro Daire, S. Pedro do Sul, Vale de Cambra, Sever do Vouga, Oliveira de Frades, Vouzela e algumas freguesias de Albergaria-a-Velha, Vila Nova de Paiva e Viseu.
  • Na Região Norte: Baião, Cinfães, Castelo de Paiva, Arouca e algumas freguesias de Resende, Celorico de Basto, Amarante, Marco de Canaveses, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Lamego e Tarouca.

Onde comer carne arouquesa

  • Tasquinha da Quinta Restaurante. Especialidades: vitela e cabrito assado no forno, “postinha” e a vitela no espeto, “costeletinhas” e os nacos de vitela na brasa, polvo e bacalhau grelhados. Mesmo no centro de Arouca na Rua 1º de Maio. Convém reservar: 256944080.
  • Casa dos Bifes Silva (restaurante e hospedaria). Especialidades: bife à Alvarenga, vitela assada em forno de lenha, bacalhau frito de cebolada. No Lugar do Paço, em Alvarenga. Reservas: 256 955 443 ou 964 016 987 www.casadosbifes.com
  • Casa dos Bifes Caetano. Especialidades: bife de Alvarenga, vitela assada, bacalhau com migas. Reservas: 256 955 150 ou 965 070 232. Em Albisqueiros – Alvarenga.
  • Assembleia Wine Bar & Restaurante. Em frente ao MOsteiro de Arouca, na Travessa da Ribeira. Reservas: 256 944 392.
  • Alto da Estrada Restaurante Regional. Dos restaurante mais antigos de Arouca. Especialidades: vitela assada, cabrito assado, cozido à portuguesa, bacalhau à auto da estrada. Situado mesmo à entrada de Arouca, na Avenida 25 de Abril, no Burgo. Reservas: 256 944 796.
  • Manjar das Oliveiras Restaurante Regional. Reservas 256 484 043.
Deixe um comentário